BOINC: o seu computador a serviço da ciência

Que tal usar a capacidade ociosa do seu computador para ajudar a descobrir a cura de doenças? Você pode começar agora: conheça a plataforma BOINC.

Os computadores revolucionaram a ciência humana. Cálculos que levavam anos ou até décadas para serem feitos podem hoje ser solucionados em semanas ou meses. O que era considerado um supercomputador há alguns anos hoje pode ser encontrado em residências. E, para completar, a Internet conectou os computadores do mundo em uma grande rede de busca e troca de informações.

Calcula-se que existam hoje mais de um bilhão de computadores espalhados pelo mundo. Toda essa estrutura é utilizada atualmente para as atividades diárias que todos conhecemos, mas… por quê não utilizá-la para desenvolver a ciência? Foi para isso que surgiu o conceito de computação distribuída.

Quando você usa o seu computador para escrever textos, navegar na Internet, ler este blog ou verificar as redes sociais, na verdade você está empregando apenas uma parte muito pequena da capacidade do seu computador. A maior parte dessa capacidade de computação fica simplesmente ociosa.

Imagine agora que um grupo de cientistas em uma certa universidade precise de uma quantidade de cálculos que só podem ser feitos em computador. Em vez de comprar um supercomputador (que exige altos custos financeiros e ambientais), esses cientistas dividem os cálculos em lotes e distribuem esses lotes via Internet para computadores no mundo inteiro.

Esses computadores recebem os lotes de tarefas e fazem os cálculos utilizando apenas a capacidade de computação que normalmente fica ociosa quando estão ligados. Ao final, eles devolvem os cálculos via Internet para a universidade de origem – tudo automaticamente, sem que o dono do computador precise interromper o seu trabalho.

Pois isso existe! É exatamente este o conceito da computação distribuída.

SETI@homeOs primeiros projetos de computação distribuída surgiram em 1997, utilizando os computadores para calcular números primos. Em 1999, surgia o projeto SETI@home, que reuniu milhões de pessoas. SETI significa Busca por Inteligência Extraterrestre (Search for Extra Terrestrial Intelligence, na sigla em inglês) e seu propósito é utilizar a capacidade ociosa dos computadores para analisar gravações de sinais feitas pelos radiotelescópios de Arecibo, tentando encontrar sinais de rádio vindos do espaço. Até hoje, SETI@home não encontrou nenhum sinal de rádio extraterrestre, mas as buscas continuam.

BOINCAtualmente, os principais projetos de computação distribuída estão abrigados na plataforma BOINC, desenvolvida pela Universidade da Califórnia em Berkeley, nos Estados Unidos. Além da capacidade ociosa dos processadores, as placas de vídeo 3D também têm enorme capacidade de processamento ociosa que agora também pode ser utilizada para fins científicos. Também foi desenvolvido recentemente o BOINC para Android, para uso em telefones celulares.

Você também pode participar e colocar o seu computador para trabalhar, colaborando com os mais variados projetos científicos. Não há necessidade de conhecimentos técnicos e o desempenho do computador não é afetado, já que apenas a capacidade ociosa será utilizada, com baixa prioridade.

O uso mais intenso do computador não causa maiores problemas entre os computadores desktop que possuam coolers adequados e funcionando. Os notebooks exigem mais atenção no controle do aquecimento. E até hoje não há registro de nenhuma quebra de segurança do computador utilizando o BOINC.

Como a capacidade de processamento varia de um projeto para outro, até os computadores mais velhos podem ser empregados para computação distribuída, desde que possuam conexão à Internet. Para começar a fazer ciência em casa, siga os passos abaixo:

1. Baixe a última versão do programa BOINC para o seu sistema operacional.

2. Clique duas vezes para instalá-lo.

3. Após a instalação, abra o programa, selecione os projetos com os quais deseja colaborar e siga as instruções de inscrição. O ideal é inscrever-se em pelo menos dois ou três projetos; assim, quando um não tiver serviço, o outro estará trabalhando. É importante que você use o mesmo endereço de email para todos os projetos.

4. Pronto! Você pode fechar a janela e esquecer. O computador começará a baixar tarefas da Internet e resolvê-las enquanto você trabalha.

Os resultados de todas as pesquisas que utilizam a plataforma BOINC são divulgados livremente para o público. Veja abaixo alguns dos projetos científicos que você pode ajudar com o BOINC, além do SETI@home já mencionado anteriormente:

Climateprediction.net

Climateprediction.net – Universidade de Oxford (Inglaterra). Pesqsuisa modelos de previsão de mudanças climáticas em vários ambientes possíveis.

Rosetta@home – Universidade de Washington (Estados Unidos). Estuda estruturas de proteínas para encontrar curas de doenças humanas.

Einstein@home

Einstein@home – Universidade de Wisconsin em Milwaukee (Estados Unidos). Procura pulsares.

Malariacontrol.net – Instituto Tropical Suíço. Simula a transmissão da malária entre grupos humanos para determinar estratégias de controle.

SIMAP

SIMAP – Universidade Técnica de Munique (Alemanha). Calcula similaridades de proteínas para montar um banco de dados para pesquisas biológicas.

LHC@home – realiza simulações de colisões de partículas para uso no acelerador de partículas do CERN.

World Community Grid

World Community Grid – plataforma criada pela IBM que abriga diversos projetos científicos, que vão desde a procura de materiais para a construção de células solares e substâncias para a filtragem de água até a busca da cura de diversas doenças como o câncer, AIDS e leishmaniose. Uma equipe brasileira da Fundação Oswaldo Cruz e da Faculdade de Tecnologia Infórum de Belo Horizonte já fez uso da plataforma World Community Grid para pesquisar a esquistossomose.

Existem também projetos do BOINC que não utilizam o processador do seu processamento, mas ficam apenas presentes na memória para enviar sinais de alerta. Quake Catcher Network verifica se há algum terremoto na sua área e, se houver, manda um sinal para a Universidade de Stanford e a Universidade da Califórnia em Riverside (Estados Unidos). Já Radioactive@home mede a radioatividade no seu local de trabalho e envia informações periódicas para o computador central na Polônia. Para participar destes projetos, você precisa de equipamento externo conectado ao computador: um sensor de movimento para o primeiro projeto e um contador Geiger para o segundo.

SETI@homeParticipar de projetos científicos sem sair de casa já deveria ser uma satisfação por si própria, mas o ser humano é um animal competitivo… Cada tarefa completada pelo BOINC gera pontos, que são somados e controlados para gerar um ranking de participantes. Existem sites dedicados às estatísticas dos participantes do BOINC, como o Boincstats, por exemplo. Lá você encontra a quantidade de pontos obtida por todos os participantes, que podem ainda agrupar-se em equipes e participar de competições.

2 comentários para “BOINC: o seu computador a serviço da ciência”

  1. Fabrício B. Aguirre diz:

    Uma pena ser tão pouco divulgado no Brasil. Com isto, não alcançamos posição a posição de destaque que mereceríamos, como a 7ª economia do mundo e com a 5ª maior população.

    No Seti@Home, por exemplo, o Brasil está na 23ª posição: http://www.boincsynergy.com/stats/country.php?project=sah

  2. c diz:

    Portugal@home é a maior equipa portuguesa e uma das maiores equipas do mundo. Portugal@home reúne mais de 2600 membros oriundos de 25 países: Angola, Brasil, Canada, Cabo Verde, França, Alemanha, Grécia, Japão, Malásia, Nicarágua, Portugal, Reino Unido, USA, Venezuela e vários outros. Portugal@home é a equipa certa para si, quer você seja português(a) ou não, quer resida em Portugal ou no estrangeiro.

    Portugal@home encontra-se no 71º lugar do ranking das maiores equipas de todo o mundo e, nalguns projetos, possui uma posição ainda melhor. Atualmente, Portugal@home é a 15ª equipa no MindModeling@home, um projeto ainda em fase experimental (Beta), e é a 17ª no UCT Malaria, um projeto mais antigo, já concluído.

    Até à data, os milhares de membros da equipa já contribuíram com mais de 1750 milhões de ‘créditos’ (crédito é a unidade de medida usada para quantificar a carga de trabalho realizado) através da sua participação em 75 projetos activos e em 45 entretanto concluídos.

    Portugal@home não privilegia nenhum tipo de projeto; os seus membros escolhem livremente os projetos em que desejam participar. A equipa apostou, ao longo dos seus mais de dez anos de existência, no Milkyway@home e no Seti@home, mas tornou-se uma equipa mais genérica, que abrange todos os tipos de projetos, desde os da Física até aos das Ciências Sociais, incluindo os das áreas da Biologia, Matemática, Ciências da Terra, Informática e Ciências Cognitivas.

    Convidamo-lo(a) a juntar-se a nós, tornando-se membro da maior equipa portuguesa e de uma das 100 maiores do Mundo, ao mesmo tempo que contribui para o progresso do conhecimento científico nas suas ciências/projectos preferidos.

    Se desejar, pode dar uma vista de olhos à lista mais atualizada de projetos em que estamos a participar, créditos obtidos e rankings da Portugal@home (Nota: copie o link para a barra de endereços do seu browser):

    http://boincstats.com/en/stats/-1/team/detail/72/projectList

Envie seu comentário